Jornada Acadêmica de Direito da UniFTC de Petrolina reúne profissionais renomados e discute temas relevantes no pós-pandemia

Jornada Acadêmica de Direito da UniFTC de Petrolina reúne profissionais renomados e discute temas relevantes no pós-pandemia

Em torno de 100 estudantes do curso de Direito se inscreveram para participar da I Jornada Acadêmica de Direito da UniFTC de Petrolina ‘Reconstruindo a Democracia na Década de 20”, que aconteceu nos dias 30 de outubro e 06 de novembro, no auditório da UniFTC Petrolina. Os dois encontros foram marcados pela discussão de temas relevantes para o desenvolvimento da Ciência Jurídica diante do cenário atual resultado da pandemia e do isolamento social.  

A jornada contou com a presença de palestrantes da região, como o advogado empresarialista  Thiago Cadidé, que apresentou o tema ‘Trilha do Processo Civil’, e do Doutor em Direito UNLZ/Argentina, advogado e escritor Luiz Antonio Costa, que falou sobre ‘Segurança Jurídica e o Princípio da Confiança’. 

Professores do curso de Direito da UniFTC de Petrolina também movimentaram conhecimento com a turma durante ao primeiro dia da Jornada: Anderson Wagner Araújo, que debateu sobre o tema ‘Júri Épico: a interdisciplinaridade do ensino jurídico’, e a docente Maria Victória Souza, que discutiu sobre ‘Construção da postura profissional durante a faculdade de Direito: Desafios enfrentados ao ingressar no mercado de trabalho’.  

Assuntos que estiveram em pauta nos últimos 2 anos com a pandemia foram expostos e debatidos durante a realização da jornada, destacou o coordenador do curso de Direito Mário Cleone Júnior. “Inclusive, os efeitos que o isolamento social trouxe para o ordenamento jurídico e a atual forma de trabalho do profissional de Direito, os fenômenos que estão envolvidos na década de 20 e todos os movimentos paralelos de natureza econômica, social e jurídica. Falamos do conceito ‘Novo Normal’, na qual o Sistema Jurídico foi também ajustado com audiências virtuais, atendimento remoto e personalizado com uso de programas de conversação instantâneas com áudio e vídeo, dentre outros. Os temas foram pensados imaginando esta nova realidade”, explicou. 

A estudante do 1º período do curso de Direito, Ana Vitória Carvalho, elogiou a iniciativa da UniFTC. “Tudo muito organizado. Aprendi bastante neste primeiro encontro. Palestrantes muito competentes e de uma grande expertise compartilharam seus conhecimentos conosco. A faculdade está de parabéns”, falou.

Durante sua abordagem sobre ‘Segurança Jurídica e o Princípio da Confiança’, que é determinante para estabilização da sociedade, o palestrante Luiz Antônio frisou que o cidadão precisa ter em mente que o Estado tem que cumprir as expectativas criadas na sociedade, como as promessas de políticas públicas, por exemplo. “Não tivemos o processo de transição social, psicológica, jurídica para enfrentar todos os direitos. Fomos obrigados a um processo de evolução tecnológica. Neste cenário de imprevisibilidade e de inconstância das relações jurídicas, os dois princípios que trago tentam solucionar questões que envolvam situações que ficaram evidentes neste processo da pandemia. Em resumo, quis expor os mecanismos pelos quais o Direito pode enfrentar dentro deste cenário de instabilidade na sociedade, tanto do ponto de vista econômico como jurídico. Um dos pressupostos que a Segurança Jurídica existe na sociedade é que as pessoas precisam conhecer seus direitos para não viver um cenário de insegurança”, esclarece.

A aluna do 6º período, Vitoria Malta aproveitou e assistiu a duas palestras. “Temas que ganham notoriedade na área e no Vale do São Francisco foram destaque na Jornada. A palestra do professor Anderson Wagner foi excelente, pois abre novas portas simplificadas para todos, além de levar não somente Leis e Libras, mas tudo que o Direito abrange, além de questões sociológicas. Conhecimento sempre é bom e aprender através de um movimento dinâmico e rico de informações, melhor ainda”, afirmou.  

A professora Maria Victória apresentou durante a I Jornada Acadêmica de Direito uma pesquisa elaborada por ela com estudantes que entraram no mercado de trabalho no período pós-pandemia. “Um dos combates enfrentados pelos profissionais formados neste período foi não saber se identificar no mercado, justamente pela ausência do trato direto com o cliente; ou não poder se anunciar profissionalmente com o fechamento dos Fóruns. Sem contato direto com o magistrado ou com o cliente, como usar o ambiente virtual para se promover seguindo o código de ética da OAB, esses e outros duelos profissionais foram ministrados para o público. É de suma relevância que o estudante entenda que já existem mecanismos de atuação no mercado. Queremos ajudar nossos alunos a estarem atentos às novas habilidades e competências”, explicou. 

A professora disse ainda que o momento de aprendizado construído pela UniFTC é essencial na formação do profissional do futuro. “A Jornada foi criada para compartilhar conhecimentos. Queremos passar para os alunos que o momento de se preparar para o mercado é agora, é ficar atento com a formação da postura profissional do acadêmico de Direito e passar para eles informações sobre os desafios que poderão ser enfrentados. Construir uma postura diferenciada dentro da Academia é essencial, assim o profissional do futuro poderá ingressar no mercado de trabalho com mais força, segurança e menos dificuldades”, argumentou Maria Victória. 

José Cláudio Carneiro, estudante do 6º período de Direito, registrou a importância do evento acadêmico. “Além da Jornada tratar de temas atuais e constatar a interdisciplinaridade de seu curso com outras ciências, foi uma oportunidade de debater com especialistas na área. Todos estes eventos são essenciais para agregar valor com o aprendizado construído na academia e enriquecer mais ainda o trabalho e a pesquisa científica, se for o caso”, frisou. 

Durante a jornada, os alunos receberam brindes e participaram de sorteio de livros de Direito. Outros temas abordados durante a Jornada foram ‘Necropolítica na democracia Iliberal’, ‘Educação em direitos humanos: reconstruindo a democracia com um olhar humanizado do Direito’, ‘A saga do poliamor na estrutura familiar contemporânea’, ‘A revolução da justiça 4.0.