Evento discute jornada de carreira do Farmacêutico com alunos da UniFTC

Evento discute jornada de carreira do Farmacêutico com alunos da UniFTC

A Jornada Gestão de Carreira – Farmácia discutiu nesta sexta-feira (5) as possibilidades políticas e de comunicação para profissionais da área de saúde, com foco nos farmacêuticos. Estudantes de diversos cursos participaram da palestra, que aconteceu no Centro Universitário UniFTC Salvador.

O primeiro palestrante foi o Diretor de Comunicação da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), Sergio Luiz, que discutiu com os estudantes sobre ‘Política é necessidade profissional’, principalmente a importância de se tornar um profissional de destaque.

“Sabe o que a Farmácia precisa para funcionar? Precisa do farmacêutico! A empresa precisa do farmacêutico. Mas tem um desafio: se o farmacêutico não se der a importância, vai ter empresa que não vai dar importância e vai ser o farmacêutico que a empresa vai contratar para ficar o tempo todo dando baixa em receita controlada”, comentou Sérgio.

Em seguida, os alunos dos cursos de Saúde da UniFTC puderam contar com uma conversa sobre ‘Comunicação Assertiva e o Sucesso Profissional’ com o jornalista e membro da Comissão de Divulgação e Publicidade, Cassiano da Cunha.

Neste momento, foi destacado a importância dos profissionais de manterem comunicações ativas e confiantes, tanto no aspecto auditivo, quanto no visual e sinestésica (tato). “O importante é vocês dominarem o que comunica e terem convicção no que fazem. Assim vocês serão profissionais de destaque”, informa Cassiano.

Interprofissionalismo

Para as estudantes Maria Alice Pimentel, do 3º semestre de Enfermagem, e Maria Carolina, 3º semestre de Fisioterapia, participar neste momento de eventos que destacam a interprofissionalidade é importante para que desde cedo todos possam perceber os profissionais de saúde como uma comunidade que deve caminhar sempre junta.

“A gente está se preparando para um futuro em que cada um vai conseguir respeitar a profissão do outro porque saberemos a importância de cada profissional dentro da estrutura completa da saúde”, disse Maria Alice, que foi complementada por Maria Carolina: “Isso vai facilitar também no mercado de trabalho, pois formaremos um lugar mais humano”.

A fala é reforçada pelo coordenador do curso de Farmácia da UniFTC Salvador, Francisco Pacheco, durante a Jornada. “Nossos alunos estão hoje em uma matriz que começa interprofissional. Ou seja, vai aprender primeiro a ser inter antes de ser profissional. Assim todos vão estar batendo cabeça em um desafio com estudantes da área de saúde, afinal é mais fácil fazer um profissional de saúde em farmacêutico, do que transformar um farmacêutico em profissional da saúde”.